CONVERSAS À MARGEM: A ÚLTIMA SOLIDÃO | 28 DE JANEIRO | 16H00 | SALA POLIVALENTE

CONVERSAS À MARGEM: A ÚLTIMA SOLIDÃO | 28 DE JANEIRO | 16H00 | SALA POLIVALENTE


Apresentação do livro
A última solidão


Com a presença da autora Carmen Garcia


Sábado | 28 de janeiro | 16H00 


Entrada livre


Carmen Garcia, enfermeira, mãe do Pedro e do João. O Pedro, de 5 anos, é surdo profundo com implante coclear.
Trabalhou durante onze anos num hospital do SNS, sempre na área dos Cuidados Intensivos. Em 2021, deixou a carreira hospitalar e passou a dedicar-se apenas à enfermagem na área que mais a apaixona: a Geriatria.
Autora da página “a mãe imperfeita”, tem mais de 180 mil seguidores no Facebook e mais de 96 mil no Instragam. É a enfermeira imperfeita no Twitter (22 mil seguidores).
Colunista do jornal Público, é autora da coluna “Tanto faz não é resposta”, que sai todos os domingos no caderno P2.
Autora de dois livros infantis bestseller em Portugal: Uma Lição de Amor e Uma Lição Vinda do Mar, que falam, respetivamente, sobre a inclusão e sobre a poluição dos oceanos.
Comentadora residente do programa do Canal Q “Dia de Reflexão” que também acontece em formato podcast.
Às vezes, de manhã, quando o despertador toca, ainda pensa se vai ter Matemática ou Educação Física no primeiro tempo. Mas, depois, ouve chamar «mamã» e lá se lembra que, se calhar, já não é assim tão jovem.
A Última Solidão é o seu primeiro livro de ficção.


SOBRE O LIVRO
O mundo está cheio de velhos. Dos que já o são e dos que o seremos um dia. E nós aqui andamos fazendo de conta que ali, do outro lado do muro, a velhice não nos espreita enquanto se esforça por driblar a morte. Mas sabem o que é que nos rebenta de verdade? A certeza de que a mesma velhice que repudiamos é a nossa maior esperança. A certeza de que a pele de agora, mais ou menos lisa, gritará vitória se chegar a ser marcada pelas rugas que não são mais do que linhas do tempo. Do que já vivemos e do que nos resta.
Através de personagens ficcionadas, como a Margarida, o Custódio, a Maria do Rosário ou o Zezinho, e à luz da sua experiência em lares, Carmen Garcia escreve sobre velhos, que são os nossos, ou que um dia, se tivermos sorte, seremos nós, com um amor, uma ternura e uma crueza que por vezes nos choca, nos enternece e que nos obriga a pensar no fim da vida e na forma como tratamos e pensamos os nossos velhos.
Um livro que prende do princípio ao fim, pelo relato sincero e honesto, visto pelos olhos de uma enfermeira, que embora jovem, revela uma grande maturidade e uma paixão num assunto vital e tão menosprezado em Portugal.


 

Data de publicação do artigo

17 janeiro 2023

Categoria do artigo

CONVERSAS À MARGEM

 

Câmara Municipal de Vila Franca de Xira

 

Rede Nacional de Bibliotecas Públicas

 

Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas

 

Fábrica das Palavras | BMVFX

MENU